Como contratar uma empresa de segurança privada corretamente?

O SINDESP-PR orienta quanto a documentação necessária e repassa algumas dicas de cuidados na hora de escolher a empresa prestadora do serviço

Alguns cuidados são importantes no momento de contratar um serviço de segurança privada, seja para proteção de um comércio ou para sua casa residência. O primeiro passo é obter informações junto ao Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Paraná (SINDESP-PR) sobre a situação e idoneidade da empresa de segurança, antes de fechar qualquer contrato.

Já no momento da contratação e durante a manutenção do contrato, é importante verificar se a empresa tem e mantem autorização da Polícia Federal (PF) para atuar na área de segurança privada que é um dos requisitos da Lei nº 7.102/83. A Polícia Federal é o órgão responsável pela regular e fiscalizar o segmento.

O crescimento da demanda por segurança privada e a falta de conhecimento sobre a atividade geram casos de contratação de empresas informais, que não têm autorização legal ou que tem objeto distinto das atividades que oferecem, por consequência, provocam diversos riscos à sociedade. Contratar um serviço legal inibe crimes, é mais seguro para funcionários das empresas regulares e ao tomador.

O SINDESP-PR orienta exigir alguns documentos no momento da contratação de uma empresa que prestará serviços em segurança privada:

• Certificado de Segurança, (fornecido anualmente pela Polícia Federal, comprova a autorização para funcionamento da empresa especializada);

• Revisão da Autorização de Funcionamento, (fornecida anualmente pela Polícia Federal, a fim de confirmar a competência da empresa apta a operar na atividade de Segurança Privada);

• Carteira Nacional do Vigilante, (fornecida pela Polícia Federal, comprova a realização do curso de formação de vigilantes e a aptidão para o exercício da função do funcionário que presta o serviço). Atenção: Policiais civis e militares são proibidos por lei em prestar serviços de segurança privada;

• Cópia da carteira de trabalho (para verificar se o funcionário é registrado pela empresa), comprovante do pagamento de salários mensalmente, Certidão negativa de débito com INSS e o FGTS, e documentos que comprovem a quitação dos encargos sociais.

• Solicite o CNPJ e verifique se a empresa tem autorização para atuar com segurança privada, clicando aqui.

• Não autorize instalação de guaritas em calçadas públicas, como também, Não autorize veículos estacionados em calçadas públicas. A segurança privada tem regras a seguir.

Pronto! Se tudo estiver de acordo, assine seu contrato e sinta-se seguro por uma empresa privada devidamente legalizada!