Artigo de jornal mineiro destaca cuidado a ser tomado na contratação de serviços de segurança privada

O combate aos serviços clandestinos de segurança privada são o tema de um artigo contendo recomendações dos Sindicatos das Empresas de Segurança Privada publicado pelo jornal de Sete Lagoas, de Minas Gerais, na edição desta quarta-feira (27/11).

O texto destaca que mais de 300 empresas clandestinas foram autuadas pela mais recente operação da Polícia Federal (PF) com esse foco.

Somente empresas que contam com vigilantes treinados, com registro na PF, podem atuar nesse setor, que lida com o mais valioso bem de cada um de nós, a vida.

Para evitar cair nas mãos de quem não tem preparo para oferecer esse serviço, a recomendação da autora do artigo, a advogada Tatiane Cristina Dionízio, é clara: conhecer as normativas do ramo de Segurança Privada por meio de contato com o Sindicato das Empresas de Segurança Privada ou Polícia Federal do estado. No caso do Paraná, a consulta pode ser encaminhada ao Sindesp-PR: assessoria@sindesp-pr.org.br.

Leia a íntegra o artigo “O desconhecimento na contratação de segurança privada”.

Imagem: Jornal de Sete Lagoas